Nota de Repúdio aos comentários de Jair Bolsonaro

29/07/2019

Nota de solidariedade à memória de Fernando Santa Cruz, desaparecido político. Por memória, Verdade e Justiça

Elzita Santos Cruz, mãe de Fernando Santa Cruz

A Constituição Brasileira de 1988, possui 5 fundamentos que organizam e normatizam o funcionamento do Estado e de toda a sociedade, são eles: soberania, cidadania, dignidade da pessoa humana, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. 

O Estado Democrático de Direito, pressupõe que o Estado, seus representantes em todas as esferas e a sociedade devem respeito às leis, e que não há nada e ninguém acima ou à margem da lei. 

Vemos com preocupação e perplexidade o desrespeito a estes fundamentos, por parte do Presidente Jair Bolsonaro (dignidade da pessoa humana e o pluralismo político), em suas manifestações sobre o desaparecimento do jurista Fernando Santa Cruz durante a Ditadura Civil-Militar no Brasil.

“Um dia, se o presidente da OAB quiser saber como é que o pai dele desapareceu no período militar, eu conto. Ele não vai querer ouvir a verdade. Eu conto para ele” ,afirmou Jair Bolsonaro.

O Núcleo de Preservação da Memória Política vem por meio desta nota manifestar repúdio as falas de Jair Bolsonaro direcionadas ao presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Felipe Santa Cruz, cujo pai consta como um dos inúmeros desaparecidos.

Nesse sentido, é de suma importância que o a Procuradoria Geral da República, ao deparar-se com uma situação de ocultação da verdade de acordo com o Artigo 342 do Decreto Lei nº 2.848 de 07 de dezembro de 1940, manifeste interesse de caráter investigativo, em consonância com suas atribuições constitucionais.

O Núcleo solidariza-se com Felipe Santa Cruz e relembra da destemida luta de sua avó, Elzita Santos Cruz, que no mês passado (25/06/2019) faleceu sem saber informações sobre o paradeiro do filho que nunca conseguiu reencontrar.

Por memória, verdade e justiça


Veja outros textos

Veja mais

Em celebração ao Dia Internacional dos Direitos Humanos, o Núcleo Memória realizou, no dia 10 de dezembro, mais uma ação do projeto “Visitas Mediadas ao ex DOI-Codi”.


Desigualdade: Brasil tem a 2ª maior concentração de renda do mundo


Jovens se penduram em paus de arara em ato de valorização da democracia na Praia de Copacabana


Galeria Prestes Maia, no centro de SP, vai virar Museu dos Direitos Humanos


Truculência nas ruas materializa autoritarismo nada gradual


Bolsonaro é alvo de denúncia no TPI


‘Sem violar direitos humanos, é impossível normalizar o país’, diz ex-ministro de Piñera


A revolução dos jovens do Chile contra o modelo social herdado de Pinochet


Instituto Vladimir Herzog , Nucleo Memória, Comissão Arns e outras 22 organizações da sociedade civil pedem que Alesp cancele evento em homenagem a Pinochet


ONU denuncia “ações repressivas” em protestos na Bolívia que deixaram ao menos 23 mortos


Esta cova em que estás


Campanha da RESLAC: Desaparecimentos forçados nunca mais


Nota de Repúdio aos comentários de Jair Bolsonaro


Nota de Pesar - Elzita Santos Cruz


El País: A perigosa miragem de uma solução militar para a crise do Brasil


UOL TAB: Gente branca


SP - Polícia mata mais negros e jovens, aponta estudo sobre letalidade do Estado


UOL: No rastro de um torturador


Hora do Povo: Mostra de João Goulart retrata sua luta para libertar o Brasil


EBC: Prédio onde funcionou Dops em BH dará lugar a memorial de Direitos Humanos


Ato Ditadura Nunca Mais realiza arrecadação online Direitos Humanos


Núcleo Memória lança livro sobre o futuro Memorial da Luta pela Justiça


TV alemã lança filme sobre a Volkswagen e a ditadura brasileira; assista


Assine nossa newsletter

Siga-nos

           
todos direitos reservados ©2018