Declaração Universal dos Direitos Humanos | 72 anos

10/12/2020

Artigo 01 | Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade.

72 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos | 10 . Dez. 2020

Declaração Universal dos Direitos Humanos – íntegra

Adotada e proclamada pela Assembléia Geral das Nações Unidas (resolução 217 A III) em 10 de dezembro 1948.

Preâmbulo

Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e de seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no mundo,

Considerando que o desprezo e o desrespeito pelos direitos humanos resultaram em atos bárbaros que ultrajaram a consciência da humanidade e que o advento de um mundo em que mulheres e homens gozem de liberdade de palavra, de crença e da liberdade de viverem a salvo do temor e da necessidade foi proclamado como a mais alta aspiração do ser humano comum,

Considerando ser essencial que os direitos humanos sejam protegidos pelo império da lei, para que o ser humano não seja compelido, como último recurso, à rebelião contra a tirania e a opressão,

Considerando ser essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações,

Considerando que os povos das Nações Unidas reafirmaram, na Carta, sua fé nos direitos fundamentais do ser humano, na dignidade e no valor da pessoa humana e na igualdade de direitos do homem e da mulher e que decidiram promover o progresso social e melhores condições de vida em uma liberdade mais ampla,

Considerando que os Países-Membros se comprometeram a promover, em cooperação com as Nações Unidas, o respeito universal aos direitos e liberdades fundamentais do ser humano e a observância desses direitos e liberdades,

Considerando que uma compreensão comum desses direitos e liberdades é da mais alta importância para o pleno cumprimento desse compromisso,

Agora portanto a Assembléia Geral proclama a presente Declaração Universal dos Direitos Humanos como o ideal comum a ser atingido por todos os povos e todas as nações, com o objetivo de que cada indivíduo e cada órgão da sociedade tendo sempre em mente esta Declaração, esforce-se, por meio do ensino e da educação, por promover o respeito a esses direitos e liberdades, e, pela adoção de medidas progressivas de caráter nacional e internacional, por assegurar o seu reconhecimento e a sua observância universais e efetivos, tanto entre os povos dos próprios Países-Membros quanto entre os povos dos territórios sob sua jurisdição.

Artigo 1
Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade.

Artigo 2
1. Todo ser humano tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidos nesta Declaração, sem distinção de qualquer espécie, seja de raça, cor, sexo, língua, religião, opinião política ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra condição.
2. Não será também feita nenhuma distinção fundada na condição política, jurídica ou internacional do país ou território a que pertença uma pessoa, quer se trate de um território independente, sob tutela, sem governo próprio, quer sujeito a qualquer outra limitação de soberania.

Artigo 3
Todo ser humano tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.

Artigo 4
Ninguém será mantido em escravidão ou servidão; a escravidão e o tráfico de escravos serão proibidos em todas as suas formas.

Artigo 5
Ninguém será submetido à tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.

Artigo 6
Todo ser humano tem o direito de ser, em todos os lugares, reconhecido como pessoa perante a lei.

Artigo 7
Todos são iguais perante a lei e têm direito, sem qualquer distinção, a igual proteção da lei. Todos têm direito a igual proteção contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e contra qualquer incitamento a tal discriminação.

Artigo 8
Todo ser humano tem direito a receber dos tribunais nacionais competentes remédio efetivo para os atos que violem os direitos fundamentais que lhe sejam reconhecidos pela constituição ou pela lei.

Artigo 9
Ninguém será arbitrariamente preso, detido ou exilado.

Artigo 10
Todo ser humano tem direito, em plena igualdade, a uma justa e pública audiência por parte de um tribunal independente e imparcial, para decidir seus direitos e deveres ou fundamento de qualquer acusação criminal contra ele.

Artigo 11
1.Todo ser humano acusado de um ato delituoso tem o direito de ser presumido inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei, em julgamento público no qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessárias à sua defesa.
2. Ninguém poderá ser culpado por qualquer ação ou omissão que, no momento, não constituíam delito perante o direito nacional ou internacional. Também não será imposta pena mais forte de que aquela que, no momento da prática, era aplicável ao ato delituoso.

Artigo 12
Ninguém será sujeito à interferência na sua vida privada, na sua família, no seu lar ou na sua correspondência, nem a ataque à sua honra e reputação. Todo ser humano tem direito à proteção da lei contra tais interferências ou ataques.

Artigo 13
1. Todo ser humano tem direito à liberdade de locomoção e residência dentro das fronteiras de cada Estado.
2. Todo ser humano tem o direito de deixar qualquer país, inclusive o próprio e a esse regressar.

Artigo 14
1. Todo ser humano, vítima de perseguição, tem o direito de procurar e de gozar asilo em outros países.
2. Esse direito não pode ser invocado em caso de perseguição legitimamente motivada por crimes de direito comum ou por atos contrários aos objetivos e princípios das Nações Unidas.

Artigo 15
1. Todo ser humano tem direito a uma nacionalidade.
2. Ninguém será arbitrariamente privado de sua nacionalidade, nem do direito de mudar de nacionalidade.

Artigo 16
1. Os homens e mulheres de maior idade, sem qualquer restrição de raça, nacionalidade ou religião, têm o direito de contrair matrimônio e fundar uma família. Gozam de iguais direitos em relação ao casamento, sua duração e sua dissolução.
2. O casamento não será válido senão com o livre e pleno consentimento dos nubentes.
3. A família é o núcleo natural e fundamental da sociedade e tem direito à proteção da sociedade e do Estado.

Artigo 17
1. Todo ser humano tem direito à propriedade, só ou em sociedade com outros.
2. Ninguém será arbitrariamente privado de sua propriedade.

Artigo 18
Todo ser humano tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; esse direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença pelo ensino, pela prática, pelo culto em público ou em particular.

Artigo 19
Todo ser humano tem direito à liberdade de opinião e expressão; esse direito inclui a liberdade de, sem interferência, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras.

Artigo 20
1. Todo ser humano tem direito à liberdade de reunião e associação pacífica.
2. Ninguém pode ser obrigado a fazer parte de uma associação.

Artigo 21
1. Todo ser humano tem o direito de tomar parte no governo de seu país diretamente ou por intermédio de representantes livremente escolhidos.
2. Todo ser humano tem igual direito de acesso ao serviço público do seu país.
3. A vontade do povo será a base da autoridade do governo; essa vontade será expressa em eleições periódicas e legítimas, por sufrágio universal, por voto secreto ou processo equivalente que assegure a liberdade de voto.

Artigo 22
Todo ser humano, como membro da sociedade, tem direito à segurança social, à realização pelo esforço nacional, pela cooperação internacional e de acordo com a organização e recursos de cada Estado, dos direitos econômicos, sociais e culturais indispensáveis à sua dignidade e ao livre desenvolvimento da sua personalidade.

Artigo 23
1. Todo ser humano tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condições justas e favoráveis de trabalho e à proteção contra o desemprego.
2. Todo ser humano, sem qualquer distinção, tem direito a igual remuneração por igual trabalho.
3. Todo ser humano que trabalha tem direito a uma remuneração justa e satisfatória que lhe assegure, assim como à sua família, uma existência compatível com a dignidade humana e a que se acrescentarão, se necessário, outros meios de proteção social.
4. Todo ser humano tem direito a organizar sindicatos e a neles ingressar para proteção de seus interesses.

Artigo 24
Todo ser humano tem direito a repouso e lazer, inclusive a limitação razoável das horas de trabalho e a férias remuneradas periódicas.

Artigo 25
1. Todo ser humano tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e à sua família saúde, bem-estar, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis e direito à segurança em caso de desemprego, doença invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda dos meios de subsistência em circunstâncias fora de seu controle.
2. A maternidade e a infância têm direito a cuidados e assistência especiais. Todas as crianças, nascidas dentro ou fora do matrimônio, gozarão da mesma proteção social.

Artigo 26
1. Todo ser humano tem direito à instrução. A instrução será gratuita, pelo menos nos graus elementares e fundamentais. A instrução elementar será obrigatória. A instrução técnico-profissional será acessível a todos, bem como a instrução superior, esta baseada no mérito.
2. A instrução será orientada no sentido do pleno desenvolvimento da personalidade humana e do fortalecimento do respeito pelos direitos do ser humano e pelas liberdades fundamentais. A instrução promoverá a compreensão, a tolerância e a amizade entre todas as nações e grupos raciais ou religiosos e coadjuvará as atividades das Nações Unidas em prol da manutenção da paz.
3. Os pais têm prioridade de direito na escolha do gênero de instrução que será ministrada a seus filhos.

Artigo 27
1. Todo ser humano tem o direito de participar livremente da vida cultural da comunidade, de fruir as artes e de participar do progresso científico e de seus benefícios.
2. Todo ser humano tem direito à proteção dos interesses morais e materiais decorrentes de qualquer produção científica literária ou artística da qual seja autor.

Artigo 28
Todo ser humano tem direito a uma ordem social e internacional em que os direitos e liberdades estabelecidos na presente Declaração possam ser plenamente realizados.

Artigo 29
1. Todo ser humano tem deveres para com a comunidade, na qual o livre e pleno desenvolvimento de sua personalidade é possível.
2. No exercício de seus direitos e liberdades, todo ser humano estará sujeito apenas às limitações determinadas pela lei, exclusivamente com o fim de assegurar o devido reconhecimento e respeito dos direitos e liberdades de outrem e de satisfazer as justas exigências da moral, da ordem pública e do bem-estar de uma sociedade democrática.
3. Esses direitos e liberdades não podem, em hipótese alguma, ser exercidos contrariamente aos objetivos e princípios das Nações Unidas.

Artigo 30
Nenhuma disposição da presente Declaração poder ser interpretada como o reconhecimento a qualquer Estado, grupo ou pessoa, do direito de exercer qualquer atividade ou praticar qualquer ato destinado à destruição de quaisquer dos direitos e liberdades aqui estabelecidos.

Veja mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA *


Sábados Resistentes - Direitos humanos em foco


LIVE HOMENAGEM - 50 ANOS RUBENS PAIVA


Sábado Resistente – O impacto do capitalismo financeiro nos Direitos Humanos


O que são Direitos Humanos?


Declaração Universal dos Direitos Humanos | 72 anos


Live “Conhecendo Lugares de Memória: Memorial de Direitos Humanos de Minas Gerais”


Webinário Memória e Verdade “Lugares de Memória em São Paulo”


Editorial Boletim de Novembro 2020


Jornada do Patrimônio 2020


Sábado Resistente - “Racismo e Resistência”


XIII Encontro Anual RESLAC


Live “Conhecendo Lugares de Memória: I Batalhão de Infantaria Blindada - BIB” Barra Mansa, RJ (19/11)


Seminário Internacional | O mundo do trabalho e as lutas por justiça


Live “Conhecendo Lugares de Memória: DOPS-RJ: Rua da Relação, 40”


Editorial de outubro de 2020 | Núcleo Memória


Núcleo Memória em aula sobre Avanços e Retrocessos da Justiça de Transição no Brasil


Sábado Resistente - Orgulho e Resistências: LGBT na ditadura


Núcleo Memória participa do Ciclo de Conferências “Negacionismo y relativismo en América Latina y el Caribe”


Sábado Resistente - Inauguração da exposição “Orgulho e Resistências: LGBT na Ditadura”


Trabalhadores visitam o Memorial da Luta Pela Justiça


“Conhecendo Lugares de Memória: Recife/PE”


Comunicados RESLAC – Bolívia e Chile


“Conhecendo Lugares de Memória: Casa da Morte - Petrópolis/RJ”


Projeto de Pesquisa do Memorial da Luta Pela Justiça 2020


Comunicados RESLAC – Bolívia e Chile


NM e OAB-SP estão retomando as visitas mediadas ao Memorial Da Luta Pela Justiça


Sábado Resistente | Experiências de enfrentamento à pandemia e solidariedade social nos territórios desiguais


Live Movimento Vozes do Silêncio marca o Dia Internacional das Vítimas de Desaparecimento Forçado.


EDITORIAL | SETEMBRO DE 2020


Projeto “Conhecendo Lugares de Memória”


Nota RESLAC – OEA


Ciclo de Lives - Conhecendo Lugares de Memória


Participação de Maurice Politi na formação de professores da rede estadual (18/08)


Ciclo de Lives


EDITORIAL | JULHO DE 2020


Curso Intensivo de Educação em Direitos Humanos


Sábados Resistentes - Retomadas as atividades


Diálogos ao vivo sobre História e Memória


Curso Lugares de Memória e Direitos Humanos no Brasil


Sábados Resistentes são retomados na modalidade virtual e ao vivo


Programa de Pesquisa


Golpe civil-militar de 1964: uma breve introdução


Entrevista com Mario Magalhães: Jornalismo investigativo


Direitos dos anistiados


Curso Lugares de Memória e Direitos Humanos no Brasil - 2020


EDITORIAL


Retomada dos Sábados Resistentes


Vigília pela Democracia


Capacitação em comunicações estratégicas


Participação do Núcleo Memória em atividades diversas


Veto à História


Resultado da seleção para o curso Lugares de memória e Direitos Humanos - edição 1 - 2020


COMUNICADO À COMUNIDADE


Visita Mediada ao antigo DOI-Codi


Reunião com a OAK Foudation


Testemunho do professor Will Schmaltz


Sábado Resistente: Mulheres em Resistência


56 anos do golpe civil-militar que nos afeta até hoje


Debate Vigília Pela Democracia


24 de março - Dia Internacional do Direito à Verdade


Vigília pela Democracia e pelas Vítimas da Violência de Estado, de ontem e de hoje.


Adiamento da II Caminhada do Silêncio pelas Vítimas da Violência de Estado e do Ato Unificado Ditadura Nunca Mais


Mulheres em Resistência


Programa Visita Mediada ao antigo DOI-Codi de São Paulo


Falecimento do Companheiro Raphael Martinelli


Final de semana da Memória e Resistência Política


Afiliação suspendida do Centro Nacional de Memoria Histórica de Colombia


Visita Mediada ao antigo DOI-Codi de São Paulo


Bilionários têm mais riqueza que 60% da população mundial, indica relatório da Oxfam


Visita mediada ao antigo prédio do DOI-Codi de São Paulo


Visita ao futuro Memorial da Luta pela Justiça


10 episódios de violação à liberdade de expressão em 2019


Sábados Resistentes: Balanço da aplicabilidade das recomendações da Comissão Nacional da Verdade


Homenagem a Carlos Marighella


Ato na homenagem a Marighella na camara de São Paulo


Sábado Resistente discute os retrocessos em áreas de Direitos Humanos


Profunda rejeição à militarização da América Latina e Caribe


O Memorial da Resistência em parceria com o Núcleo Memória debate na programação dos SR os retrocessos em áreas sensíveis dos Direitos Humanos no país


Caos, massacre e miséria no Haiti


Debate: [IN]VISÍVEIS – POLACAS


Roda de Conversa com o diretor do Nucleo memória Maurice Politi


XII Encontro Anual da Rede Latino-Americana e Caribenha de Lugares de Memória


A RESLAC exige a retirada das forças armadasa e a vigência das garantias básico no Chile


Encerramento do curso `Lugares de Memória e Direitos Humanos No Brasil`


Projeto `Visita Mediada ao antigo DOI-Codi de São Paulo`


Novas aulas do curso Lugares de Memória e Direitos Humanos no Brasil


INSCRIÇÕES ENCERRADAS - Visita Mediada ao antigo DOI-Codi de São Paulo


A Resistência da Sociedade Civil e a luta por democracia no Brasil


Sábado Resistente - Tributo ao Dom Paulo Evaristo Arns


Nota de Repúdio


Dia Internacional das Vítimas de Desaparecimentos Forçados


Primeira aula do curso “Lugares de Memória e Direitos Humanos no Brasil”


SELECIONADOS - Curso Lugares de Memória e Direitos Humanos no Brasil


Nascida em 08 de março. Elza Joana, presente


Sábado Resistente: 50 anos do DOI-Codi


Núcleo memória participou do Projeto Dossiê História em Cruzeiro SP


30 de agosto, Dia Internacional das Vítimas de Desaparecimentos Forçados


Luta e Verdade - Bolsonaro e o esquecimento forçado


Por Elas: memória e resistência. Entrevista com Maurice Politi


Sábado Resistente: DOI-CODI 50 anos


18 de julho - Dia Internacional de Nelson Mandela


Inscrições para o curso `Lugares de Memória e Direitos Humanos no Brasil`


Em breve abrirá o período para inscrição no curso “LUGARES DE MEMÓRIA E DIREITOS HUMANOS NO BRASIL


Morre Clemente, da ALN e sucessor de Marighella


Impunidade faz com que Estado brasileiro ainda faça uso da tortura


Vozes do Silêncio Contra a violência do Estado


Sábado Resistente debateu o filme `Nostalgia da Luz`


Sábado Resistente: Debate o filme `Nostalgia da Luz`


Seja um amigo e amiga do Núcleo Memória - Friends of the Núcleo Memória


Memorial das Lutas e Ligas Camponesas é o mais novo membro da RESLAC


Sábado Resistente: “As lutas sociais e o movimento da infância”


Assista ao vídeo da I Caminhada do Silêncio em São Paulo


Sábado Resistente: Cativeiro Sem Fim


Núcleo Memória participa da IV Semana `Conhecendo a Realidade Brasileira`


NM vê com preocupação o encerramento do grupo de trabalho de ossadas de Perus


17 Abril |Dia Internacional de Luta Camponesa


Sábado Resistente: Lançamento do Livro Cativeiro Sem Fim


Novos membros da Rede Latino Americana e Caribenha de Sítios de Memória (RESLAC)


Cortes no orçamento de museus e programas culturais em São Paulo


Núcleo Memória participa de Roda de Conversa em Petrópolis


Curso Memória, Movimentos Sociais e Direitos Humanos


Núcleo Memória participa de eventos sobre Direitos Humanos no Rio de Janeiro


Mais de 500 pessoas no 6º Ato Ditadura Nunca Mais


Ato Ditadura Nunca Mais


Primeiro Sábado Resistente de 2019: O papel dos coletivos culturais na São Paulo de hoje


Criação da Rede Brasileira de Lugares de Memória - REBRALUME


Núcleo Memória envia representante a audiência da CIDH sobre lugares de memória


Novo site do Ministério Público sobre Justiça de Transição


Simpósio em SP marca 20 anos do Ministério Público Federal na promoção da justiça de transição


`Casa da morte` é declarada imóvel de utilidade pública


Vandalismo ao Monumento Marighella


Nota de Falecimento: Eunice Paiva


Memorial de direitos humanos é inaugurado em Minas Gerais


No dia 13 de dezembro de 1968, o presidente militar Arthur da Costa e Silva decreta o Ato Institucional n° 5


Nota de falecimento: Virgílio Lopes Enei


Comissão da Verdade na Colômbia é instaurada


Ivan Seixas lança livro em São Paulo


Dia Internacional dos Direitos Humanos


Último Sábado Resistente de 2018 lança o livro Hiatus: Arte, Memória e Direitos Humanos na América Latina


Livro Migração e Exílio é lançado no Museu da Imigração


Membros brasileiros da RESLAC entregam documento à Comissão Interamericana de Direitos Humanos


RESLAC lança nota sobre a visita da Comissão Interamericana de Direitos Humanos


Sábado Resistente lança o novo livro da jornalista Jan Rocha: Solidariedade não tem Fronteiras


Estudantes de Relações Internacionais da UNIFESP visitam o futuro Memoria da Luta por Justiça


Núcleo Memória participa do Seminário “Espaços de Exclusão: História e Memória” na USP


Maurice Politi é entrevistado pelo Canal Plus


RESLAC manifesta o seu apoio ao tombamento da Casa da Morte em Petrópolis, Rio de Janeiro


Pela primeira vez, Ministério Público Federal (MPF) denuncia membros da Justiça e do Ministério Público Militar por crime contra os direitos humanos cometidos durante a ditadura militar


Ato Herzog Vive


Roda de Conversa na EMEF Casa Blanca


SANTO DIAS, PRESENTE!


RESLAC saúda a anulação de perdão a Alberto Fujimori


Sábado Resistente comemora os 94 anos de Raphael Martinelli


Núcleo Memória participa do encontro internacional promovido pela RESLAC


Alunos da Escola Paulista de Sociologia visitam o futuro Memorial da Luta por Justiça


Pesquisadoras finalizam mais uma fase do projeto História Oral


Em dia de protestos em São Paulo, Núcleo Memória debate os 30 anos da Constituinte


Seminário na Universidade Presbiteriana Mackenzie conta com a participação do Núcleo Memória


4 anos do Massacre de Ayotzinapa


Roda de conversa no Colégio Santa Cruz


Memorial da Resistência debate os 30 anos da Assembleia Constituinte e os seus efeitos nos dias de hoje


Caso Vladimir Herzog: as implicações da condenação do Estado brasileiro na Corte Interamericana


Ativistas pelos Direitos Humanos do Rio de Janeiro lançam documento exigindo compromissos públicos dos candidatos à eleições de Outubro


Sábado Resistente debate sobre a abertura dos arquivos no Brasil e Paraguai e sua contribuição para o cumprimento das recomendações das Comissões da Verdade


47 anos da execução do Comandante Lamarca no Sertão da Bahia


Nota de empenho pelo cumprimento das resoluções da Comissão Nacional da Verdade


45 anos do golpe militar chileno


Incêndio no Museu Nacional: perda enorme para a história brasileira


Revolucionário e Gay: a vida extraordinária de Hebert Daniel.


Retomada das pesquisas nos arquivos da Justiça Militar


“Revolucionário e Gay”, novo livro de James Green é lançado em São Paulo


‘‘Acho fundamental que tenhamos referências históricas de pessoas que resistem aos golpes’’, diz James N. Green


Jornada do Patrimônio


Gegê Lemos visita o Núcleo Memória


Sábado Resistente: Movimento Custo de Vida


Visita escolar no futuro Memorial da Luta por Justiça


Memorial da Luta pela Justiça


Sábado Resistente: 50 anos de tropicalismo


26 de julho é dia de Combate a Tortura


Encerramento do curso Lugares de Memória


Exposição fotográfica: Ocupação Dom Paulo Evaristo Arns


Sexta aula do curso Lugares de Memória, ditaduras e direitos humanos no Brasil


Lançamento brasileiro do livro “A experiência Tupamara`


Lançamento de livro sobre movimento dos Tupamaros no Sábado Resistente


Terceiro encontro do curso `Lugares de Memória, ditaduras e direitos humanos no Brasil`


Segunda aula do curso `Lugares de Memória, ditaduras e direitos humanos no Brasil`


Alunos da UNIFESP Visitam Memorial da Luta Pela Justiça


Primeira aula do curso `Lugares de Memória, ditaduras e direitos humanos no Brasil`


Alunos da UNIFESP visitam Memorial da Luta


Primeira aula publica no patio do antigo DOI-CODI


Sábado Resistente é palco da memória viva da luta operária contra ditadura


50 anos depois, “1968 operário” é lembrado em Sábado Resistente


Memorial da Luta sedia lançamento de livro sobre Paulo Fonteles


Papel de religião na resistência é lembrado em homenagem a Martin Luther King


Pesquisas para MLPJ são retomadas com entrevista com Marcia Bassetto


Nos 50 anos da morte de Martin Luther King, resistência negra é debatida em SR


Núcleo Memória participa do Global Reparations Summit, na Sérvia


Mais de 500 pessoas se reúnem para reivindicar a transformação do DOI-Codi em lugar de memória


Mulheres discutem as diferentes lutas feministas em Sábado Resistente


RESLAC manifesta sua preocupação com o assassinato da defensora dos DH do Rio e a crescente violência nessa cidade


5º Ato Unificado Ditadura Nunca Mais acontece no antigo DOI-Codi


Militantes se reúnem para debater resistência feminina intergeracional em SR


Amigos e companheiros de luta compartilham memórias de Honestino Guimarães em SR


Núcleo Memória participa de reunião sobre tombamento da Casa da Morte


Ato Ditadura Nunca Mais realiza arrecadação online Atividades


Ato Ditadura Nunca Mais realiza arrecadação online Núcleo


Primeiro Sábado Resistente do ano lança livro sobre Honestino Guimarães


Nota de apoio ao Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP)


Secretaria de Direitos Humanos lança livro sobre lugares de memória de São Paulo em Sábado Resistente


Sábado Resistente reúne especialistas para debater retrocessos nos direitos humanos


Militantes de ontem e hoje se reúnem para homenagear Marighella


Núcleo Memória participa de conferência internacional em Lisboa


Sábado Resistente homenageia Fidel Castro no marco de um ano de sua morte


Vozes da Defesa tem duração estendida até 10 de novembro


Instituições se reúnem para I Seminário do Centro de Memória Sul Fluminense


RESLAC divulga informe a CIDH, com contribuição do Núcleo Memória


Sábado Resistente reúne artistas e militantes em debate sobre arte e memória


Para homenagear Guevara, Sábado Resistente fala sobre revolução nos dias de hoje


Núcleo Memória participa de reunião da CIDH


Memorial da Resistência debate Arte e Memória para marcar abertura da exposição “Hiatus”


Ivan Seixas concede entrevista ao NM sobre a fundação da instituição


Núcleo Memória realiza palestra em seminário de direitos humanos no Chile


`Ruas da Vergonha` ganha prêmio de publicidade mais importante da América Latina


Nos 50 anos da morte de Che Guevara, Sábado Resistente presta homenagem ao revolucionário


Núcleo Memória realiza primeiras entrevistas para construção de memória institucional


Colônia japonesa emociona com histórias de luta por justiça para seus desaparecidos


Com participação do Núcleo Memória, RESLAC elabora plano estratégico


Sábado Resistente lança livros com temática da ditadura civil-militar


Memorial da Resistência promove tarde de lançamento de livros


Levante Popular lota Sábado Resistente em lançamento de livro sobre escrachos realizados pelo grupo


Memorial da Luta pela Justiça abriga exposição “Vozes da Defesa”


Núcleo Memória participa da Jornada do Patrimônio 2017


Comunicado sobre aprobación unánime en el Bundestag y el rol del Estado chileno


Núcleo Memória, OAB/SP e STM inauguram exposição Vozes da Defesa


Perseguição à colônia japonesa nas ditaduras argentina e brasileira em debate no Memorial da Resistência


Sábado Resistente lança livro sobre escrachos aos torturadores da ditadura


Núcleo Memória entrega assinaturas da campanha Ruas da Vergonha à Prefeitura


Núcleo de Pesquisa recebe Leila Tavares que compartilha sua busca pelos arquivos da Justiça Militar


Sábado Resistente debate a Justiça no Brasil em lançamento de livro do MPF


Pesquisa no arquivo do STM - Jornal da Justiça


Sábado Resistente homenageia Dulce Maia de Souza, combatente da Resistência


Sábado Resistente lembra importância dos lugares de memória em lançamento de livro


Núcleo Memória convida todos para Assembleia Geral


Memorial da Resistência lança livro sobre a história do imóvel que abriga o museu


Colóquio de Direitos Humanos debate mudanças na segurança pública e no cárcere


MPF lança livro sobre crimes da ditadura civil-militar


Em maio, o Memorial da Resistência realiza debate sobre questão de gênero e violência contra a mulher no Sábado Resistente


Segurança pública e situação penitenciária em pauta no 2º dia do Colóquio de Direitos Humanos


No lançamento de “Calabouço”, um encontro entre os militantes de ontem e hoje


4º Ato Unificado Ditadura Nunca Mais


Dia Internacional pelo Direito à Verdade


Primeiro dia do Colóquio de Direitos Humanos discute fundamentos da intolerância religiosa no Brasil


Sábado Resistente estreia temporada de 2017 com plateia cheia para discutir resistência juvenil


Memorial da Luta pela Justiça promove debate sobre Intolerância Religiosa


RESLAC abre convocatória para consultores ou empresas de consultoria


Diretor do Núcleo Memória realiza visita com professores no Memorial da Resistência


Contra o desmonte da coordenadoria por Memória e Verdade do Rio de Janeiro


Apoio à atuação do Ministério Público Federal


Curso Ditadura: História Memória encerra sua 4ª edição, destinada a educadores populares


No Dia Internacional dos Direitos Humanos, II Ciclo de Cinema tem encerramento com debate sobre o tema


Último Sábado Resistente do ano recebe 90 pessoas para homenagear Sergio Motta


II Ciclo de Cinema recebe Manoel Cyrillo e Martim Sampaio


Às vésperas do dia da Consciência Negra, Sábado Resistente reúne especialistas para debater o tema


Diretor do Núcleo Memória da aula na Unifesp


Sábado Resistente emociona com homenagem ao militante Farid Helou


II Ciclo de Cinema exibe documentário sobre atuação de advogados na ditadura


Especialistas discutem a segurança pública durante e depois da ditadura em Sábado Resistente


Diretor do Núcleo fala à 80 alunos do fundamental sobre o golpe e a ditadura


Sábado Resistente tem exibição de curtas e debate sobre a tortura


II Ciclo de Cinema estreia com filme sobre a participação dos EUA na ditadura brasileira


II Ciclo de Cinema traz discussão sobre violações do Estado nos dias atuais


Antonio Espinosa participa de debate em Sábado Resistente


Núcleo Memória participa de encontro da regional de sítios de consciência


Com mais de cem pessoas, Sábado Resistente discute o papel das empresas na ditadura


Encerramento do Projeto Ocupe os Direitos Humanos


Luis Nassif sobre Liberdade de Imprensa - Projeto Ocupe os Direitos Humanos


Sábado Resistente discute a tortura no passado e no presente


Padre Gianfranco Grazioloa sobre Cárcere - Projeto ocupe os Direitos Humanos


Jacqueline Sinhoretto sobre violência policial - Projeto Ocupe os Direitos Humanos


Memorial da Luta pela Justiça recebe visita da Clínica de Direitos Humanos da PUC


Franklin Felix sobre Comunidade LGBT - Projeto Ocupe os Direitos Humanos


Leonardo Duarte e Direito da Criança e do Adolescente - Projeto Ocupe os Direitos Humanos


Maurice Politi participa do Fórum Latino-Americano de Fotografia


Anivaldo Padilha sobre Justiça de Transição - Projeto Ocupe os Direitos Humanos


Sábado Resistente discute a importância dos lugares de memória


Núcleo marca presença na Mostra de Cinema e Direitos Humanos no Mundo da Universidade Metodista


Assine nossa newsletter

Siga-nos

           
todos direitos reservados ©2018